38.9 C
Imperatriz
terça-feira, outubro 4, 2022
spot_img
InícioSaúdePai denuncia que filho doente foi impedido pelo Socorrinho de ser transferido...

Pai denuncia que filho doente foi impedido pelo Socorrinho de ser transferido para São Luís

O pai de uma criança, que está internada há mais de 15 dias no Hospital Socorrinho de Imperatriz sofrendo com uma grave infecção no pé que lhe fez perder um dedo, denunciou ao Imperatriz Online que o filho foi impedido de ser transferido para um hospital em São Luís, que tem o tratamento para o menino.

Segundo o pai, o filho foi internado no dia 16 do mês passado e após dias de tentativa de tratamento e piora, ele conseguiu uma vaga em um hospital na capital e o transporte aéreo, mas foi negado de levar o filho de helicóptero, então, deram a opção da ambulância, mas também não liberaram a saída, pois o menino não aguentava a viagem de ambulância.

O pai, triste e revoltado com a situação, procurou o Imperatriz Online, pois ainda não tinha recebido um retorno de como a situação seria resolvida. Nós entramos em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde e repassamos o caso, minutos depois o pai voltou a nos procurar confirmando que após a nossa equipe procurá-los, ele recebeu a resposta de que a transferência seria feita.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o trâmite para a transferência foi iniciado. Veja a nota:

“A Secretaria Municipal de Imperatriz, por meio do Hospital Municipal Infantil, informa que a criança é paciente do Tratamento Fora de Domicílio, encaminhada à capital para continuidade do tratamento médico.

Ocorre que o Socorrinho aguardava a liberação da vaga no hospital de São Luís, sendo esta liberada somente na tarde de hoje (3), e o
trâmite de transferência já foi iniciado, logo que houve a vaga.

É necessário esclarecer que o hospital não pode de forma alguma encaminhar paciente sem a devida vaga, pois a unidade hospitalar da Ilha só recebe se realmente houver disponibilidade de leito. Além disso, a transferência requer protocolos, inclusive clínicos, para que não se agrave a situação do paciente.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Populares

- Publicidade -

Ultimos Comentários

× WhatsApp